Jejum de Tisha b'Av – 9 de AV

Israel, Colômbia, Taiwan, Rússia, China

No dia 9 de Av (7 de agosto) um rápido começa. É conhecido como um dia da manhã para o povo judeu e um dia relacionado à tragédia. Quais são as chances de que neste dia o templo em Jerusalém foi destruído duas vezes, para não mencionar o relatório negativo dado por 10 dos doze espiões, bem como outras tragédias recentes na história envolvendo diretamente o povo judeu.

Hoje, ao nos aproximarmos deste mesmo dia, Israel foi novamente atacado por foguetes da Faixa de Gaza depois de capturar a cabeça de a Jihad Islâmica na cidade de Jenin na Cisjordânia de Israel. Globalmente falando, este dia é no mínimo angustiante, pois a economia mundial está à beira do colapso, a crise alimentar está piorando e em países como Colômbia o governo está fazendo uma formalização mudar da democracia para o comunismo.

A China está infestando Taiwan militarmente e com sanções, a Rússia continua a negar a países que consideram hostis fertilizantes e alimentos dos quais é um dos maiores exportadores do mundo e a China se uniu para fazer o mesmo. Este dia representa um ponto de ruptura não apenas na história do povo judeu, mas em todo o mundo. Então, o que nós, como crentes, fazemos? Como reagimos? Qual é a nossa posição?

Para saber a resposta a essas perguntas precisamos conhecer nossa realidade, quem somos. Nascemos do alto, do terceiro céu, sentado com Yeshua à direita do Pai, significando que nossa realidade não é deste mundo, mas do céu. Então, qual é a realidade do céu? Nenhuma doença, medo, preocupação, morte etc. Então a questão é que estamos manifestando Seu reino vindo à terra como é no céu? Vemos este momento como uma tragédia ou uma oportunidade? Tradicionalmente, historicamente e biblicamente o 9 de Av é um tempo de luto, mas em nossa nova realidade, qual é a verdade?

“Assim diz o Senhor Todo-Poderoso: “Os jejuns do quarto, quinto, sétimo e décimo meses se tornarão ocasiões alegres e alegres e festas felizes para Judá” (Zacarias 8:19). Av é o quinto mês, e como crentes nascidos de novo nosso direito de nascença é que este dia de jejum seja um dia de festa sabendo quem somos em Cristo e Ele em nós. Não importa as circunstâncias e situações do mundo, devemos ser uma luz na escuridão e brilhar mais forte quando tudo estiver ficando mais escuro. É hora de trazer nossa realidade celestial para a terra e mostrar ao mundo que verdadeiros filhos e filhas maduros de Deus (João 17) são capazes. Que este dia tradicional de jejum e luto seja revertido e se torne um dia de celebração para transformar um dia de luto em regozijo para a glória de Deus e salvação em todo o mundo! Adonai te abençoe e te guarde!


Comente e dê-nos seu feedback

Todos os direitos reservados

pt_BRPT